Nova pagina 1

 Sergipe
    


 
Política

 Cidade - Cotidiano

 Segurança Pública

 Esportes Sergipe

 Concursos

 
Baladas - Diversão

 Cultura e Arte

 
Artigos e Entrevistas

 Sergipe pelo Brasil

 
Turismo - Sergipe

 Envie um cartão postal

 Sergipe em imagens

 Conheça Sergipe

 Dados Geo-Econômicos

 Brasil / Mundo

 Política

 País

 Concursos

 Educação

 Placar On Line

 Esportes

 Olimíadas

 Turismo no Brasil

 Mundo

 
Cadernos

 ClickSe - Rapidinhas

 
Vestibular - Enem


 
Transposição


 
Artigos e Entrevistas

 
Tecnologia-Informática

 
Notícias Jurídicas

 Ciência e Saúde

 
Meio Ambiente

 Cultura e Arte

 
Mundo Artístico

 Estilo - Moda

 
Bichos e Cia

 
Veículos

 Interatividade 

 Chat

 Contato

 Blogs e Sites

 Fale Conosco

 Links Úteis

 Mídia de Sergipe

 Newsletter

 Opiniões e Cartas

 Envie Imagens

 Ver Comentários

 Você Repórter

 Widgets

   


 ClickSergipe Informa 

 Cotação do Dolar

 
Loterias

 Lista Telefônica

 Vôos On Line

 Tirar Passaporte

 Fuso Horário

 Resumo de Novelas

 Horóscopo

 Sites + Procurados

 Cálculo Exato

 Preço de Remédios

 Olho no Dinheiro

 Mapa Google Sergipe


 Esportes 

 Esportes em Sergipe

 Esportes Brasil

 Eliminatórias da Copa

 Brasileirão -  Série A

 Brasileirãó - Série B

 Brasileirão - Série C

 Brasileirão -  Série D

 Vôlei

 Fórmula 1

 Liga dos Campeões

 Basquete

 Esportes Aquáticos

 Esportes Radicais

 Olimpíadas


    

 

 


Visite vários pontos turísticos de Sergipe Quando voltar, me conta como foi!!!

 


Aracaju,
 
comente    -    veja comentários


MP investiga fraudes em três concursos públicos

13/11/2009

"Desde o início está tudo muito confuso, com mudanças de regras e investigações do Ministério Público Federal" - Aline de Oliveira, candidata do concurso da PRF
A Funrio pode ser mais uma vez vítima de investigações do Ministério Público Federal (MPF) por fraudes no polêmico concurso para 750 vagas ao cargo de agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Dúvidas também pairam sobre outras seleções realizadas pela mesma banca examinadora. “Recebemos mais de 500 reclamações de candidatos sobre irregularidades em provas da PRF, Furnas Centrais Elétricas e Ministério do Planejamento. Vamos levar tudo isso ao Ministério Público”, afirma Maria Thereza Sombra, diretora executiva da Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac). No total, os três concursos somam mais de 3 mil vagas que podem ter o processo seletivo contestado na Justiça.

Na mais recente denúncia de irregularidades, 27 candidatos foram eliminados da seleção por problemas registrados no cartão de respostas. O que parece ser um processo corriqueiro, levantou uma série de dúvidas. A começar pelo fato de todos esses candidatos ocuparem as primeiras colocações na lista de aprovados, sendo 13 do Rio de Janeiro, três de São Paulo, dois de Minas Gerais e o restante dividido entre diversos estados.

Outra coincidência é que a maioria deles fez a avaliação em salas extras, destinadas a concursandos que não estavam no local de prova especificado no cartão do candidato. Para completar, a pontuação alcançado foi muito superior a dos demais concorrentes. Para se ter uma ideia, o primeiro colocado do Rio de Janeiro no resultado preliminar fez 183 pontos enquanto o primeiro lugar no resultado final, excluídos os 27 candidatos irregulares, fez 169. A dúvida agora é se houve ou não vazamento das respostas.

“Estatisticamente essa é uma situação impossível. Somente quem fez provas em salas extras conseguiram as maiores notas? Por aí já é possível verificar a falta de confiabilidade da seleção”, afirma o juiz e autor de vários livros sobre concursos públicos, William Douglas. O especialista já encaminhou ao MPF documentação com cópias dos cartões de resposta irregulares para análise. “O certo é que seja realizado outro concurso porque este não é mais confiável.”

Para a analista de sistemas e candidata do concurso da PRF Aline Oliveira, nada mais justo que uma nova seleção. “Desde o início está tudo muito confuso, com mudanças de regras na última hora e investigações do MPF. É preciso realizar um processo que garanta mais segurança para o candidato”, avalia.

Maria Thereza chega até a contestar a possibilidade da Funrio permanecer atuando como examinadora em concursos públicos. “Não tem condições. A quantidade de fraudes e irregularidades das últimas três provas realizadas pela instituição evidenciam sua incapacidade de realizar seleções.”

A assessoria de imprensa da Funrio desconhece qualquer reclamação contra as provas da Furnas Centrais Elétricas e do Ministério do Planejamento. A instituição ainda garantiu que abriu uma investigação interna para apurar o fato ocorrido com as provas da PRF e já se dirigiu ao Ministério Público para esclarecer o ocorrido. “Ainda não é possível falar em fraude já que não sabemos exatamente o que ocorreu.”

Fonte: Uai

Coloque esta notícia no seu Twitter:

Comentários
 
comentar  -  imprimir  -  enviar  -  receber  - seguir no twitter - voltar

 

 

000124

Nova pagina 1

 
    


Jovem Pan